sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Um dia de cão


Sabe aqueles dias em que não dá vontade de levantar da cama? Pois hoje foi um desses. Depois de uma noite maldormida, ou quase não dormida, levantei apenas porque tinha que tocar o dia e desta vez teria que ir ao seminário, pois tinha que apresentar trabalho. Acabei de ler o livro que ganhei da Luana, preparei meu almoço e, apesar da vontade de ficar em casa, lá fui eu para a Uerj. Chegando lá, não encontrava o lugar onde o seminário estava sendo realizado. Andei de um lado pro outro no décimo andar e não via ninguém. Sentei e fiquei esperando. Nessa hora lembrei do que sempre aconselho a todos, que sei que é verdade, mas quem mandou ser teimosa e não cumprir... É o seguinte: se você tem vontade de fazer algo legal, mas tem que deixá-lo de lado pra cumprir uma tarefa, faça o algo legal, porque se fizer a outra opção, dará errado. Se você quer sair com os amigos, mas deixa de fazê-lo pra ir à aula, o professor cancela a aula. Se você deixa de descansar pra ir ao banco, o banco fecha. Batata. Pois bem. Saí de casa sem vontade pra ir à faculdade, quem mandou?
Enfim, meia hora depois, descubro que o seminário está sendo realizado no oitavo andar. Entro, encontro os colegas, começo a bater papo. Aí recebo a notícia: não temos mais bolsa. Como assim? Assim. A bolsa da Faperj encerrava em outubro, o que significa que a última foi-me depositada em novembro. E eu que já havia me endividado toda com os presentes de Natal... Paciência. Eu já esperava que a partir de abril eu teria que ter uma perspectiva para me virar sem bolsa. Mas era uma preocupação para depois do mestrado. Não agora. Não assim de surpresa. Vou conferir meu saldo: negativo. Quanto? Muito. O que seria coberto com a bolsa, não será mais.
Mas a vida continua e dinheiro é um dos motivos pelos quais menos vale a pena chorar. Pra sobreviver este mês, esvazio a poupança. Para sobreviver no próximo, gasto a grana que iria entrar pra poupança e agora vai direto pro supermercado, pro dia-a-dia. A viagem pra Europa (amigas, sinto muito) provavelmente não será no próximo ano. Mas que o próximo ano abra caminhos, dê oportunidades. Acho que é um dos meus primeiros dias encarando a vida como adulta.

Um comentário:

fridadeluxe disse...

Puxa Lian, que pena viu...Eu nem sei quando é que vou ficar sem bolsa, espero que seja só em março. Quanto à viagem pra Europa, acho que nos iludimos muito. Afinal programamos uma viagem cara bem pra época em que estaríamos sem bolsa e ainda não teríamos emprego!!! Depois do mestrado eu pretendo fazer doutorado, mas agora quero pensar num bom projeto antes pra não sofrer muito depois. Então vou passar um tempo trabalhando com outra coisa, mas com certeza não vou ter tão cedo dinheiro pra viajar. Vida de adulto é muito chata...