domingo, 9 de dezembro de 2007

Ode ao sucolé

Hoje, enquanto íamos à praia, a Euri me lembrou de escrever no meu blog sobre meu amor pelo sucolé. Então a primeira coisa que fiz ao chegar na praia foi arranjar um papel e escrever esta ode:

Ode ao sucolé


Por onde andas que não sei onde estás?
Não sabes que venho pra te encontrar,
Que enfrento um ônibus quente e fico no sol ardente
Apenas a te esperar?


Mas quando passas no isopor
O resto do mundo fica pra trás
Eu esqueço todo o calor
E corro atrás.


Pois quando te tenho nas mãos
Vejo ir embora minha pressa
Dissipa minha dor ao sentir teu sabor
E és tudo que me interessa.


Pode ser de coco ou morango
Quando gelado está
Mas és tu, meu grande amor:
Sucolé de maracujá!

Um comentário:

Susy disse...

I love it, I love it, I love it!!!!!!!