sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Balanço de pedra

No princípio eram duas almas, com suas devidas almas-gêmeas, que entraram em um só corpo. Mas como isso acarretaria dupla personalidade, Deus ordenou que esse corpo fosse sub-dividido. E assim se fez. Surgiram dois meios corpos: Lian e Maria Cristina. Que um dia se encontraram e se juntaram também à trigêmea caçula Júlia. Reza a lenda e o gibi.

Elas reconheceram-se na faculdade de jornalismo, entre grupos de estudos de filosofia, pesquisas de antropologia, mímicas e saraus, cochiladas no sofá do C.A., coxinhas, sucos de cupuaçu e o balanço de pedra da Faculdade de Artes.

Das três, Maria Cristina era a única que tinha neurônios para aprender rotas, fazer entrevistas, resolver problemas no banco, estudar música eletrônica e se interessar por geografia física. A única que tinha talento para o jornalismo, também.

Depois da faculdade, cada qual seguiu seu caminho, mas sem nunca perderem contato. Cada encontro era como sempre fora: como se ainda se vissem todos os dias. Elas mantinham um jogo de linguagem em que cada código continuava o mesmo. Era uma língua de corujas e formiguinhas, menininhas e mulheres adultas. Lian, que tinha certeza absoluta de que iria seguir carreira acadêmica, mudou-se pro Rio de Janeiro, terminou o mestrado e foi fazer teatro. Júlia, que não sabia o que queria, foi fazer doutorado em filosofia no plano positivíssimo do "se tudo der errado". Maria Cristina, que era prática, competente e decidida, foi a única que seguiu como jornalista.

E no meio dessa confusão toda chamada vida, um dia Maria Cristina tomou uma decisão: resolveu prestar vestibular para Design de Interiores. Passou, é claro, com uma ótima classificação. E agora meu corpo-gêmeo vai voltar a frequentar a faculdade. A Faculdade de Artes, com coxinha, suco de cupuaçu e balanço de pedra.

E nesse instante eu queria tanto, tanto, viver esse momento junto com ela. Voltar a frequentar faculdade, aprender coisas novas e bonitas, sentar ao seu lado no balanço e sentir que o tempo não passa, que o tempo não vai passar.

6 comentários:

Maria Cristina disse...

Nossa Lian, to quase chorando!! Espero que tenha tudo isso lá ainda. Mas, com certeza, vai faltar o essencial, né?! Queria muito dividir esse momento com vc. Estou muuuito feliz! Por que vc não surta e vem pra FAV tb? Eu tranco a facu pra te esperar hehehe

Obrigada pelo texto, estou muito feliz com o que escreveu e me senti o corpo gêmeo, amiga, irmã de alma, enfim, mais especial do mundo!!! bjooosss

Geo disse...

Que gracinha, vocês! Parabéns, Mary, que orgulho!!! Muito sucesso nessa nova trajetória!!
Beijos!

Mr. G disse...

eu se fosse maria cristina transferia para o rio e vc cursvaa c ela... podiam até dividir ap!!
hehehe!

bjs li!

Julia Lemos disse...

Lian, danadinha, sempre nos emocionando com sua capacidade única de fazer as palavras realmente dizerem! Também fiquei com uma vontade danada de reviver os tempos de facu quando fiquei sabendo da aprovação da Mary! que gracinha, essa menininha sempre tão determinada e inteligente nos orgulhou muito! agora ela vai reviver em nome de nós menininhas que ficamos na nostalgia! Viva Mary!

Nina Flor disse...

É tão lindoooooooo

Nina Flor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.