quarta-feira, 11 de maio de 2011

Bicho do mato

Quando você me despejou uma tonelada de perguntas, eu me calei em silêncio. É só assim que sei falar da minha verdade. Eu aprendi a correr de arapucas, mesmo das boas. Levantei tijolos na estrada principal e fiquei à espreita. Eu não tenho serenidade de alvo. Não sei desacelerar e me deixar atingir. Você tentando me acessar pelos caminhos diretos e, veja só, já me perdi nos labirintos.

Mas se você deixar a arma e as botas de caçador. Se entrar para olhar as flores e contemplar as estrelas. Se quiser coletar frutos e metamorfosear borboleta.

Talvez eu possa te ensinar os caminhos.

6 comentários:

Alice in Wonderland disse...

Mundo fantástico de Lian!!!

Nádia Baldi disse...

Lindo, simplesmente, lindo!!

Ana disse...

Adorei!

Leilane disse...

Amei!

Julia Lemos disse...

ai ai... Suspiros!

Adam Carter disse...

q comentario lindo. e a foto combina muito bem. uau