quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Debate


Ele está à minha frente e, porque temos os mesmos anseios, falamos sobre ele, o amor. As prisões do amor. O jugo. A doação. Do quanto de nós somos capazes de abrir mão por um pouco de afeto. Ele argumenta que quem ama se sujeita.

Eu objeto.

9 comentários:

Ana disse...

Ah o amor. Adoro seus textos!

Julia Lemos disse...

hum... bem relativo!

Alice in Wonderland disse...

eu pararia no verbo... hehehe

Daniel Borges disse...

resposta...

Anônimo disse...

Prima! Acho que deveria escrever um livro sobre tudo o que você escreve aqui! Tenho certeza que faria muito sucesso! Você escreve muito bem! Pegue tudo o que já escreveu e monte um livro, intitulado: Bolinhas da Lian. Eu e seus amigos, nos encaminharemos de divulgá-lo.

Erika Lettry disse...

E tem gente que pensa que amar é fácil...rs.

hesseherre disse...

E EU CONCORDO. SIGO-TE NO MEU BLOG. ESTAMOS CONVERSADOS. SEM MUITA CONVERSA. QUE BOCA É PRA FICAR FECHADA QUANDO OS DEDOS TÃO FALANDO.

Sotnas disse...

Olá Lian, desejo que tudo esteja bem contigo!
Belíssimo texto, toda sua sensibilidade estampada nele, ainda assim, continuo crendo que amar é fácil, nós humanos é que complicamos o amor na forma de como amamos!
Parabéns Lian, é gratificante e visitar seu espaço e se encantar com suas bolhinhas em forma de textos! Tudo de bom pra você e todos ao redor sempre, grande abraço e até mais!

Ju Ramalho disse...

Realmente quem ama se sujeita! E Usa isso como uma desculpa para viver amores falidos ou mal vividos... muito bom o texto! bjs