sábado, 7 de junho de 2008

Histórias de taxista

A variação urbana para as histórias de pescadores são as histórias de taxistas. Ontem entrei no taxi e fiquei papeando com o motorista, um paulista que mora no Rio, filho de marroquinos, descendentes de italianos e espanhóis. Falávamos sobre o mau atendimento por parte de alguns caixas de supermercado. Olha a história que ele me contou:

Ele fez compras e, como troco, recebeu três reais e oitenta centavos em moedas de dez centavos. Ao que ele reclamou, a moça do caixa retrucou grosseiramente: "Se você não quer, me dá". Ele aceitou as moedas e foi para casa.

Ao longo de um tempo, ele ficou juntando inúmeras moedas de um centavo. Através de pessoas que ele conhecia, que trabalhavam em bancos e coisas do tipo, foi trocando dinheiro por moedas de um centavo. Um dia ele voltou ao supermercado, fez uma compra de quinhentos reais e entregou um grande saco de moedas como pagamento. Quando a moça questionou, ele disse: "Lembra dos 3,80 em moedas de dez centavos que você me deu de troco? Estou pagando em moedas de um centavo." A moça fez um escândalo, disse que ia chamar a polícia e chamou o gerente. Explicada a situação, o gerente disse que ela seria demitida, pela atitude que teve com o cliente. E completou: "Ele pagou na mesma moeda". O taxista corrigiu: "Na mesma moeda não. Paguei em moeda menor".

Um comentário:

Sem Nome disse...

Ele deu sorte, de achar a mesma atendente, no mesmo lugar e no dia que ele foi.E até deu sorte, dela ter os R$3,80 para dá-lo, geralmente elas pedem para ficar devendo.Já recebi 19 reais em moedas de 1, de troco...nem precisei falar nada, a mulher me olhou, pegou de volta e deu em cédulas.Os taxistas precisam dessas histórias né, mesmo que não as tenham vivenciado de fato, essa circulação rotineira acaba os transformando em excelentes contadores de histórias.Veredicas ou não, é apenas detalhe.Beijao Lian.