domingo, 25 de setembro de 2011

O Vazio


Hoje ele amanheceu anunciando que ainda havia o Vazio.

Depois de tanta gente, cerveja, picanha, costela, lombinho, abacaxi, caipirinha em copo gigante e eternos infinitos para uma noite. Tínhamos um churrasqueiro conhecedor profundo dos segredos da carne e da alma. E, quando perguntávamos sobre os cortes e as receitas, ele explicava que isto era felicidade, isto era vida, e falava sobre a adolescência da brasa.

Hoje acordei tarde com o movimento das pessoas debandando. Dos poucos que ficaram, um deles anunciou: Sobrou o Vazio.

Explicaram-me que Vazio era um corte de carne. Mas eu achei bonito isso, alimentar-se do Vazio.

Então eu preguiçosamente espero o almoço ficar pronto, enquanto escuto a movimentação na cozinha.

Como se atinge o ponto do Vazio? Eu não sei. Assim como não entendo as receitas da felicidade e da vida. Também a adolescência em brasa tanto me confundiu que me envelheceu. Não, eu não sei os segredos da carne. Os da alma, sei menos ainda.

Mas, com gratidão, aceito o domingo e seu Vazio.


7 comentários:

Julia Lemos disse...

Amei!

Fecespedes disse...

Seria possível, física e gastronomicamente, um Vazio recheado?

Wanderley Leimgruber disse...

'Só a antropofagia nos une'... muito instigante, adorei.

Marcio Nicolau disse...

Hora da re-feição.

Soninha disse...

ADOREI...Aceitou com sabedoria a felicidade e solidão...

Rosângela Monnerat disse...

Ao contrário do que seria esperado, este seu Vazio é que me consumiu em instantes muito saborosos! Adorei!

Alzira disse...

amei muito bom o seu blog!!
pessoal se puderem visitem o meu:
www.esquadraodoleao.blogspot.com